O Beijo da Amoreira

O mito da Amoreira nasceu para explicar a cor intensa de seus frutos em cima da história de amor de Tisbe e Píramo, um casal que teve o amor proibido por suas famílias e decide marcar um encontro debaixo de um pé de amoreira no bosque mais próximo.

Quando a bela Tisbe chegava ao local marcado se depara com uma leoa e sai correndo para uma caverna perto dali, mas não percebe que o lenço que estava em seu pescoço cai pelo caminho.

Pouco tempo depois Píramo chega ao bosque e vê a leoa próxima ao lenço de sua amada com o rosto coberto de sangue e fica desesperado. Achando que havia perdido o grande amor de sua vida pega a própria espada finca em seu peito aos pés da amoreira. Tisbe sai da caverna aonde estava escondida de volta ao local marcado e ao chegar vê seu amor morrendo, não se aguenta de tristeza, e também tira a própria vida morrendo abraçada com seu amor.

O sangue apaixonado escorre até suas raízes tingindo os frutos da Amoreira, que eram brancos, em vermelho intenso. O nome Amora é uma homenagem à história de um amor interrompido. Diz a lenda que um casal que se beija debaixo de um pé de amoras fica apaixonado para o resto de suas vidas,  e nossa estampa representa a copa da árvore se colorindo aos poucos, com um degradê de flores pinceladas e amoras espalhadas.

Esta postagem foi escrita por Adriana Bernardino